fbpx
(11) 2295-0039 / Whatsapp agendamento e consultas: (11) 9.9338-9265 / contato@commadre.com.br
Whatsapp cursos: (11) 93942-9954 / cursos@commadre.com.br

1º banho do bebê: como dar? Chuveiro, banheira ou balde?

por | 10/12/2021

A chegada de um bebê abre um mundo de descobertas e aprendizados para toda a família! Tanto para pais de primeira viagem, quanto da segunda, terceira, etc., pois cada gestação, nascimento e pós-parto são únicos. Cada um dos momentos, como o primeiro banho do bebê, o primeiro choro, a primeira vez que se amamenta, vem repletos de emoção e amor, mas também é comum trazer muitas inseguranças e medos.

Além disso, com a pandemia, todas essas mudanças e desafios se intensificaram. E, se antes nos primeiros dias de vida, mães e pais contavam muitas vezes com a ajuda de mais pessoas nos cuidados com o bebê, agora já não é assim. Para proteger puérperas e bebês, a recomendação atual é de que a circulação de visitas seja restrita ao máximo, principalmente nos primeiros 40 dias após o nascimento.

Por isso, convidamos a enfermeira obstetra, Thais Bernardo, mãe da Luiza e da Lis, e sócia da ComMadre – assistência humanizada na gestação, parto, pós-parto e amamentação, para um bate-papo sobre o primeiro banho do bebê. Então, confere a seguir tudo que você precisa saber para esse momento!

 

Pode dar banho no bebê assim que ele nasce?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), o primeiro banho do bebê, idealmente, deve ser realizado depois de 24 horas do parto. Porém, quando não for possível aguardar, recomenda-se que seja feito, no mínimo, após 6 horas do nascimento.

Assim, explica Thais, é possível que ocorra a absorção de todo o vérnix, ou seja, da camada branca de gordura que recobre a pele dos bebês ao nascer. “Essa gordura, além de atuar na regulação térmica (que evita a hipotermia no bebê), faz proteção contra bactérias e vai ser absorvida naturalmente nas primeiras horas de vida, portanto, não deve ser retirada”.

Além disso, adiar o primeiro banho também colabora com a amamentação, pois “o contato pele a pele, especialmente, durante a primeira hora de vida colabora com o vínculo mãe e bebê, além de favorecer o sucesso da amamentação”, destaca Thais.

Por outro lado, a SBP orienta que a única exceção se dá quando a mãe é soropositiva para o HIV, pois o banho precoce colabora para reduzir os riscos de contágio para o bebê.

 

Como é o banho do bebê na maternidade?

Cada maternidade tem suas particularidades sobre o primeiro banho do bebê, mas, geralmente, ele é dado na banheira por uma técnica de enfermagem. Pode ser feito no quarto ou no berçário e a profissional costuma passar as orientações de como será feito o banho em casa.

No melhor cenário, o banho é feito no quarto junto à família, sendo que a (o) profissional tem um papel de suporte e orientação, mas quem dá o banho mesmo é a mãe ou o pai. Assim, o aprendizado acontece na prática e a família tem mais segurança para dar o banho em casa.

 

Qual o procedimento para o primeiro banho do bebê em casa?

Assim como na maternidade, o banho de bebê em casa não tem uma regra rígida. Thais explica que todas as decisões vão depender da família, de como se sentem mais à vontade e seguros.

“O banho do bebê pode ser feito na banheira, no ofurô (balde) ou até no chuveiro. Depende da segurança e da calma de cada família”, destaca.

Cada alternativa traz uma série de cuidados específicos. Por exemplo, na banheira, é importante que tenha bastante água para que o bebê fique com o corpinho imerso e não sinta frio.

Já no chuveiro, o importante é garantir uma boa aderência do bebê ao corpo de quem está o banhando. Portanto, fraldas de pano e pouco sabonete podem ajudar.

 

Temperatura da água e do ambiente: itens importantes para o banho do bebê

Independentemente de onde será dado o banho, é importante sempre se atentar à temperatura do ambiente e da água. Isso porque, o bebê é mais propenso à hipotermia, já que não possui camadas de gordura para a regulação da temperatura corporal.

Portanto, é importante que os banhos sejam sempre feitos em água morna (para quente), inclusive nas estações mais quentes do ano ou em lugares onde as temperaturas são mais altas frequentemente.

O aquecedor pode ser um grande aliado, especialmente nas estações mais frias do ano, pois ajudam a manter o ambiente aquecido e diminuir a possibilidade de hipotermia.

Prepare o ambiente fechando as janelas e portas para evitar correntes de ar frio até que o bebê esteja vestido e aquecido.

Quais os itens necessários?

Outra dica fundamental para facilitar o momento do banho e torná-lo mais seguro é deixar separados e com fácil acesso todos os itens que serão utilizados no banho. Cada família vai definir o que irá utilizar, mas em síntese, a lista se resume a dois itens: sabonete neutro para bebê e toalha.

O sabonete líquido é mais indicado por ser menos abrasivo, assim, costuma ser melhor para não agredir a pele do bebê. Entretanto, se optar pelo sabonete em barra, não tem problema, só é importante não utilizar a barra diretamente na pele do bebê. Ou seja, o recomendado é passar a mão no sabonete e depois no bebê suavemente.

De acordo com a cultura da família e os itens disponíveis, é possível incluir outros itens, como shampoo, brinquedinhos, entre outros itens, mas vale lembrar que alguns cuidados são importantes.

A melhor opção é utilizar o mínimo de produtos possível e sem cheiro, até para não causar alergias ou atrapalhar o vínculo do cheiro de mãe e bebê.

Outro exemplo de item que varia de família para família é o uso de óleos essenciais, como o de lavanda ou de laranja doce, que também podem fazer parte desse momento. Pode ser acrescentado em um difusor no banheiro ou até pingar uma ou duas gotinhas na banheira, auxiliando no relaxamento.

Pode dar banho todo dia? Tem um horário melhor?

Pode dar banho todo dia, mas não é necessário. Isso varia de acordo com a cultura da família. No recém-nascido, apenas algumas regiões apresentam sujeira: a área da fralda, o coto umbilical e, em alguns casos, pode ter oleosidade no cabelo.

Portanto, desde que feita a higienização adequada da região da fralda e do coto, vai de cada família definir a periodicidade do banho. Vale levar em conta também a rotina familiar, a estação do ano e a necessidade da criança.

O banho pode ser feito a qualquer hora do dia, inclusive, incluí-lo na rotina da noite pode ser um momento muito calmante, que estimula a conexão familiar, o contato pele a pele e incentiva uma boa noite de sono.

 

Com que idade pode dar banho no chuveiro?

Desde os primeiros dias de vida, é possível dar banho no chuveiro. Porém, o ideal é sempre que seja quando o adulto se sentir seguro. Algumas coisas que podem colaborar nesse momento são:

  • Ter outro adulto de apoio que possa auxiliar, alcançando os itens, por exemplo, para você não ter que ficar se deslocando com o bebê no colo ou o expor à queda de temperatura;
  • Nas primeiras vezes, para ter mais aderência, é possível dar banho com o bebê enrolado em uma fralda de pano;
  • Usar o mínimo de sabonete possível para que o bebê não fique escorregando;
  • Sempre manter uma das mãos em C segurando firme ao redor de uma das coxinhas do bebê, para dar mais firmeza;
  • Ou ainda, o adulto pode se sentar em uma cadeira embaixo do chuveiro e dar o banho sentado, o que nos primeiros banhos pode dar maior segurança.

 

Pode usar secador durante o banho do bebê?

Quando o bebê fica muito agitado durante o banho, algumas técnicas buscam colaborar para acalmá-lo. Um dos principais ditos populares é o uso do secador de cabelo.

O barulho do secador, assim como o do aspirador de pó, costumam acalmar o bebê (especialmente em seus primeiros dias de vida), por terem um barulho similar ao do útero. Mas hoje, já há diversos aplicativos no celular que substituem a necessidade de ligar um aparelho assim.

Outro ponto importante é se comunicar com o bebê, assim ele se sente mais seguro e vai se familiarizando com esse momento.

 

Dicas para aprender a dar banho no bebê

Hoje, há uma infinidade de materiais onlines, super acessíveis e feitos tanto por profissionais, quanto por mães que contam o que vivenciam no dia a dia. Então, vale a pena assistir e encontrar a forma que seja mais próxima daquilo que você idealiza para esse momento.

Outra alternativa é o contato offline, então, busque conversar com outras mães e pais, para saber sobre as experiências reais que eles têm.

Além disso, o principal é manter o bebê confortável e bem apoiado para que ele se sinta seguro e relaxado. Seja no chuveiro, no balde ou na banheira, dando sempre uma atenção especial ao rostinho e à temperatura corporal.

A hora do banho deve ser um momento prazeroso, que fortalece o vínculo familiar, que se torna um momento de relaxamento e afeto, e mais tarde, de brincadeiras. Não sendo somente relacionado à limpeza, até porque nesse primeiro momento isso quase não se faz necessário.

Portanto, vale a pena encontrar a forma que mais funciona para o bebê e a família como um todo. Gostou deste conteúdo? Então, siga acompanhando os materiais do Minuto Saudável e das redes sociais da ComMadre para saber mais sobre gestação, pós-parto e assuntos relacionados!

 

Thais Rodrigues Bernardo, Enfermeira Obstetra e Parteira da Commadre

Escrita em parceria com Minuto Saudável

Foto: Cibele Barreto Fotografia

 

 

Pin It on Pinterest

Share This