fbpx
(11) 2295-0039 / Whatsapp: (11) 9.9338-9265 contato@commadre.com.br

A bolsa estourou e agora?

por | 17/12/2020

Primeira coisa: esqueça aquelas cenas de novela em que a bolsa rompe e a criança nasce em minutos. Importante saber que apenas de 10 a 15% das gestantes apresenta a ruptura da bolsa antes do trabalho de parto começar. O restante vai romper durante o trabalho de parto e até não romper (a minoria, cerca de 1%). Portanto, se a bolsa romper, não precisa sair correndo para o hospital!

Como saber se estourou mesmo?

Muitas mulheres perguntam se vão saber quando a bolsa romper, se não vão confundir com uma pequena perda de urina, por exemplo. Então vamos lá:

– O rompimento da bolsa geralmente acontece em casa, de madrugada.

– Faz uma espécie de ploc, como se uma bolha estourasse dentro da barriga.

– Nossa calcinha é úmida devido à lubrificação vaginal; Já o líquido amniótico (o que está presente dentro da bolsa) molha a calcinha, molha a cama, molha o chão (…).

– Não precisa ter medo de que o líquido amniótico saia todo, ele vai vazando aos poucos. Além disso, a cabeça do bebê desce e serve de tampão, impossibilitando que ele fique sem líquido.

– O líquido amniótico tem um cheiro característico que lembra cheiro de cândida, de esperma. Ele é transparente, como água de coco, e geralmente tem um pouco do vérnix do bebê (aquela camada branca de gordura que recobre o corpinho).

Em alguns casos, a bolsa estoura mais pra cima e faz com que a mulher tenha pequenas perdas de líquido amniótico, podendo gerar dúvida quanto ao rompimento ou não. Nesses casos, um exame clínico geralmente diagnostica. Lembrando que não é recomendado fazer exame de toque com a bolsa rompida, já que é ela quem torna o ambiente do bebê estéril e o toque expõe a mulher e o bebê a um maior risco de infecção.

 

Quanto tempo demora para o bebê nascer depois que a bolsa rompe?

As evidências científicas mostram que nas gestações a termo, 50% das pacientes vão entrar em trabalho de parto nas primeiras 16 horas e 95% em até 76 horas. Nas gestações pré-termo, 40% das pacientes entrarão em trabalho de parto nas primeiras 48 horas e 63% em até uma semana. É praticamente impossível as instituições hospitalares esperarem esse tempo todo.

O que geralmente acontece é: a bolsa rompe, a mulher vai imediatamente para o hospital. Chegando lá, começa a ser manejada, espera-se de 2h a 3h, o colo permanece fechado, sem dilatação, e a equipe indica cesárea argumentando que o trabalho de parto não está evoluindo. A questão é: será que essa mulher não teve dilatação, não teve passagem, ou não esperaram o tempo necessário para seu corpo agir?

Nossa experiência mostra que se esperamos ao menos 48h temos uma grande chance dessa mulher entrar em trabalho de parto e parir sem nenhuma intervenção. Nesse período, a mulher é acompanhada, sugerimos métodos de indução natural e, na maioria da vezes o corpo faz seu trabalho só com os métodos naturais, sem nem precisar de indução com medicamentos.

 

Quanto tempo posso esperar em casa até ir para o hospital depois que a bolsa rompe?

Cada hospital e cada médico costuma adotar um tempo médio para iniciar o antibiótico e prevenir infecções. Não existe um consenso único. Alguns hospitais iniciam imediatamente o medicamento e outros aguardam 12h, 18h. O ideal é que a mulher pergunte ainda no pré-natal qual a conduta adotada pelo Obstetra em caso de bolsa rota para entender qual o seu limite de espera. Aqui, cabe um adendo importante: não pode ficar em casa sem assistência com a bolsa rompida, ok?

Fique atenta:

– É importante observar a cor do líquido Aminiótico, então colocar um absorvente ajuda. Se o líquido for clarinho, com cheiro normal, é possível ficar em casa até 6h após o rompimento da bolsa, dar uma caminhada, fazer acupuntura (de preferência com um profissional que tenha experiência em indução de parto), tomar um banho e um chá bem quente para ver se o trabalho de parto evolui.

– Evite o exame de toque.

– Acompanhe a movimentação do bebê.

– Se alimente normalmente.

– Não é necessário fazer repouso.

– Comente com o mínimo de pessoas possível para não aumentar a adrenalina e atrapalhar os hormônios do parto.

– Namorar pode ajudar o trabalho de parto a engrenar, mas sem relação sexual com penetração.

– É importante verificar a temperatura a cada 4h e se manter bem hidratada.

Sinais de alerta

– Se o líquido Amniótico não estiver clarinho é sinal de atenção: líquido esverdeado, marrom, ou com sangue é necessário ir para o hospital passar por uma avaliação médica. A cor do líquido não quer dizer que será necessário uma cesárea e nem é motivo de pânico, mas requer avaliação.

– Se a bolsa rompeu antes da idade gestacional ideal para o parto (a partir de 37 semanas) é necessário ir para o hospital, mesmo que a sua equipe não vá induzir o parto imediatamente.

 

Mantenha a calma

Desde que o mundo é mundo as bolsas rompem e as mulheres seguem parindo seus bebês.  O monitoramento e o cuidado são importantes, mas não é motivo de pânico. Lembre-se: logo menos seu bebê estará em seus braços. Falta de informação e desespero faz com que saíamos correndo para a maternidade e é aí que as intervenções desnecessárias acontecem.

 

Thais Bernardo é Parteira da Commadre e idealizadora do Curso Parto sem Neura.

Foto: Flávia Jacob Fotografia

Pin It on Pinterest

Share This