fbpx
(11) 2295-0039 / Whatsapp: (11) 9.9338-9265 contato@commadre.com.br

Parto em casa não pode ser uma escolha baseada no medo do hospital

por | 30/06/2021

Sempre que recebemos em consulta alguma gestante e/ ou casal desejando ter um parto em casa, perguntamos por quê. Para nós é fundamental que escolher parir em casa não seja baseado no medo de ir para o hospital. Desde o início da pandemia do Covid-19 notamos um aumento da busca por partos domiciliares aqui na Commadre e fomos recebendo essas famílias, acolhendo e conversando até entender que se tratava de fato de um movimento de enxergar a casa como um lugar seguro para o parto.

Escolher a casa para receber o filho precisa ser, antes de tudo, uma escolha consciente, sua e do(a) seu (sua) companheiro(a), se for o caso. Também é importante levar em conta como é essa questão para as famílias: como eles lidam com essa decisão? Como vocês lidam com a opinião das suas famílias? Como lidariam com qualquer desfecho negativo e os apontamentos que essa família possa vir a ter? Lembrando que desfechos negativos podem ocorrer em casa ou no ambiente hospitalar mas o peso de não estar no hospital pode ser diferente para quem não estudou e não tem informações claras (e baseadas em evidências científicas) como vocês tiveram. Cada família é de um jeito, têm suas crenças, suas limitações, sua cultura… é importante entender em qual contexto familiar vocês estão inseridos.

 

Quem vai para o parto domiciliar?

Aqui na Commadre costumamos ir em uma dupla de Parteiras. Quando podemos, vamos em três. Não atendemos parto domiciliar sozinhas para uma maior segurança de, no caso de intercorrência, conseguirmos realizar o manejo necessário. Além disso, existe toda a dinâmica própria do parto em casa: encher/ esvaziar banheira, ajudar a organizar a casa depois do nascimento… é bastante trabalho. Além das Parteiras, a Doula é essencial e a presença da fotógrafa é de escolha da mulher.

 

Outras pessoas da família podem estar no parto?

Pode, só precisa lembrar que, no momento em que este texto foi escrito, estamos em um contexto de pandemia. Por conta disso, para a segurança da mulher e do bebê, de preferência só devem estar na cena do parto o(a) companheiro(a) ou, no máximo, uma pessoa a mais. Quanto mais gente, mais exposição. Se essas pessoas puderem ser testadas é interessante.

Outro ponto importante é que nenhuma pessoa na cena do parto apresente qualquer sintoma gripal. É fundamental ter essa responsabilidade. Nossa equipe realiza testes frequentes de Covid-19 e atende ao parto devidamente equipada, com máscara e uniforme: trocamos toda a roupa assim que adentramos a casa da família. Esses cuidados são fundamentais para um parto seguro.

 

Requisitos para o parto domiciliar

Além de ser uma escolha consciente, é preciso alguns pré-requisitos para que o parto possa ser domiciliar:

– Ter uma gestação de risco habitual, ou seja, a mulher não pode ter tido complicações na gestação que possa ter impacto no parto ou no bebê recém-nascido, como hipertensão, gestação gemelar e bebê pélvico.

– Todos os exames de pré-natal devem ter sido realizados no tempo correto e avaliados de forma precisa. Infelizmente ainda é muito comum negligência no pedido e na avaliação de exames de pré-natal, especialmente na rede particular e questões como Diabetes Gestacional, facilmente apontados no exame de Curva Glicêmica, passam despercebidas.

– Encontrar uma equipe que atenda Parto Domiciliar na sua cidade. As Doulas são uma excelente fonte de pesquisa e podem te auxiliar muito nessa busca.

– Ter vontade e se ver parindo em casa. Feche os olhos, respire fundo e imagine: você se você se vê recebendo o seu bebê em casa?

– Pensar na retaguarda: é fundamental ter definido com a equipe um hospital para o qual você será transferida no caso de uma não urgência, para continuar investindo em um parto humanizado mas no ambiente hospitalar, esse é o que chamamos de plano B. Em caso de uma transferência de urgência é preciso ter um hospital com maternidade no máximo a 15 minutos de distância da sua casa (plano C).

 

Dicas extras

  • Faça um plano de parto! Em casa não há intervenções que possam ser feitas sem seu consentimento, só estará você e sua equipe. No entanto, o plano de parto te ajuda a planejar e elaborar na sua mente como será, o que deseja para esse momento para você e para os eu bebê. É importante incluir no plano de parto os planos B e C (mencionados acima) e o que vocês desejam de condução no caso de uma transferência para o hospital.
  • Está planejando um parto em casa? Baixe o e-book gratuito que preparamos com dicas para te ajudar nesse momento!

 

 

 

Thais Bernardo é sócia e Parteira da Commadre

 

Pin It on Pinterest

Share This