fbpx
(11) 2295-0039 / Whatsapp: (11) 9.9338-9265 contato@commadre.com.br

Parto normal ou cesárea? – Conheça os prós e os contras

por | 26/11/2020

Quando o assunto é parto normal x cesárea a discussão costuma render (e muitas vezes enveredar para caminhos de pouco diálogo e muita acusação). Então, começo esse texto explicando o básico: não existe uma via de parto melhor que a outra, o que existe é a melhor via de parto para aquela mãe e para aquele bebê naquele momento! Na grande maioria das vezes, não é possível definir a vida de parto antes da mulher entrar em trabalho de parto, apesar de ser possível (e necessário) planejar o parto.  É o cuidado individualizado no pré-natal e no parto que vai permitir o nascimento saudável, com mãe e bebê bem, e esse é o objetivo sempre!

Independente da via de parto que a mulher escolha para trazer seu filho ao mundo, cabe lembrar que a agendar a data para uma cesárea não é indicado em quase nenhuma situação. Digo “quase” pois existem situações muito específicas em que a gestante não pode entrar em trabalho de parto, como placenta prévia ou no caso de ter ocorrido uma ruptura uterina em um parto anterior, por exemplo. Para gestações dentro dos padrões de normalidade, não há indicação de agendar uma cesárea sem que a mulher já esteja em trabalho de parto.

 

Indicações absolutas de cesárea: – Bebê transverso – Placenta prévia – Descolamento prematuro de placenta – Prolapso de cordão (diferente de cordão enrolado no pescoço) – Mulher com Herpes genital com lesão ativa no dia do parto.

 

Trabalho de parto: por quê esperar?

Caso haja o desejo de fazer uma cesárea (mesmo após amparada por informações de qualidade sobre os riscos do procedimento) ou, ainda, se o bebê estiver transverso ou pélvico o ideal é aguardar o início do trabalho de parto para realizar a cirurgia pois as evidências científicas mostram que essa prática traz diversos benefícios, tanto para a mãe e para o bebê. Lembrando que bebê pélvico pode sim nascer de parto normal, mas o nascimento dependerá de uma equipe que acompanhe esse tipo de parto e do desejo da mulher.

Há quem fale de “imposição do parto normal” mas será que isso realmente é uma verdade? No Brasil 56% dos nascimentos acontecem via cesárea, se pensarmos nas maternidades privadas esse número chega a mais de 90%. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que a taxa de cesáreas não ultrapasse 15%.  Cabe lembrar que a grande maioria dessas cirurgias são realizadas de forma eletiva, ou seja, com dia e horários agendados previamente, devido à uma junção de fatores como a falta de acesso à informação de qualidade por parte das famílias., comodidade médica e baixa remuneração dos planos de saúde aos profissionais médicos para acompanhamento do parto normal.

Como toda boa decisão, é importante pesar os prós e os contras, por isso, elenco abaixo os riscos e benefícios da cesárea e do parto normal, tanto para a mulher, quanto para o bebê.

 

Riscos e contras da cesárea

– Na cesárea agendada ocorre o risco de prematuridade. No Brasil temos uma das taxas mais altas do mundo (12%) devido as cesáreas eletivas. Ao antecipar o nascimento existe maior chance de o sistema nervoso e respiratório do bebê não estarem amadurecidos o bastante, precisando de cuidados na uti neonatal após o nascimento. Isso pode ocorrer mesmo com gestantes com 40 semanas: se ela não teve contração, o bebê não mostrou estar pronto para nascer.  São as contrações do trabalho de parto que vão acordando e preparando o bebê para o que ele viverá aqui fora.

– O bebê deixa de passar pelo canal vaginal: é essa passagem que ajuda na eliminação dos líquidos das vias aéreas. Por isso, bebês nascidos de cesárea têm mais risco de demonstrar desconforto respiratório.

– O bebê não tem contato com as bactérias da vagina da mãe que melhoram o sistema imunológico dele ao longa da vida.

– Riscos anestésicos: cada mulher terá uma reação no uso da anestesia e algumas podem apresentar dificuldades durante e após o procedimento.

– A cesárea oferece 10 vezes mais risco de morte materna do que o parto normal. Mais risco de hemorragia e de perfuração de outros órgãos. Lembrando que esse último (perfuração), não se trata de imperícia do profissional, mas sim de um risco inerente ao procedimento.

– A cesárea oferece mais riscos às mulheres que tem endometriose.

– Maior risco para gestações futuras: se puder, evite a primeira cesárea!

– A cesárea agendada interfere na amamentação já que o corpo não passou pelo processo hormonal desencadeado pelo trabalho de parto que prepara como uma orquestra bem afinada a descida do leite.

 

Benefícios da cesárea

– O principal benefício é que, quando realizada em situações de risco real para mãe e bebê é uma cirurgia salvadora, que pode viabilizar um nascimento saudável e seguro.

– Evento planejado: a mulher e a família podem se planejar para a data, sendo possível agendar licença maternidade e férias do companheiro (ou companheira).

– Em algumas maternidades particulares, a família pode assistir ao procedimento.

– não há dor na hora da cirurgia ( porém você vai sentir a manipulação e pode ter outras sensações como falta de ar, náusea)

– Processo rápido e controlado ( do ponto de vista médico), mas sim, podem ocorrer intercorrências e emergências.

 

Contras e riscos do parto normal

– Pode ser longo, excessivamente cansativo e doloroso.

– Imprevisível.

– Necessário lidar com as expectativas de muita gente envolvida no processo (família, amigos…) o que pode gerar estresse e desgaste do casal em aguardar o processo acontecer naturalmente.

– É necessário entender que o bebê, assim como a mãe, vai ter que lidar com o trabalho de parto: então, por mais que se planeje o parto normal, caso o processo seja cansativo para ele e ele passe a demonstrar sinais de estresse, é necessário a cirurgia. O olhar da equipe vai dizer qual é o limite.

– Pode ocorrer a laceração perineal que são pequenas lesões na região da vagina durante a passagem do bebê  O risco é aumentado se houver intervenções desnecessárias no parto, como posição ginecológica, puxo dirigido e Manobra de kristeller.

– Distócia de ombro (a cabeça do bebê sai, mas os ombros ficam impactados na pelve da mãe, sendo necessárias manobras para ajudar o bebê a terminar de nascer): risco maior está associado à bebês grandes, acima dos 4 kgs, e aumenta em caso de mãe com diabetes gestacional.

 

Benefícios do Parto normal

– Mais saudável.

– Mais seguro pra mãe e bebê.

– Processo fisiológico, natural, com recuperação mais rápido dos órgãos internos.

– Amamentação mais fluida no que diz respeito às questões hormonais.

– Bebê passa pelo canal vaginal (o que traz benefícios para sua imunidade ao longo da vida.

– O parto normal, quando vivido com respeito, pode ser uma experiência prazerosa e promover o empoderamento da mulher.

 

Thais Rodrigues Bernardo é Parteira da Commadre e idealizadora do Curso Parto sem Neura

 

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This