(11) 2295-0039 - (11) 93800-6037 (Whatsapp) [email protected]

Os benefícios da Dança do Ventre na gestação e no parto

por | 06/08/2015

A gestante que se exercita proporciona mais oxigênio e nutrientes ao bebê ao longo de sua vida intrauterina já que o fluxo sanguíneo placentário aumenta com exercício moderado. Pensando na prática da dança voltada para a gravidez – respeitando esse momento, sua fisiologia e seus aspectos emocionais – podemos ampliar esse benefício trazendo uma conexão da mulher com seu corpo e com seu bebê. Dançar ajuda a valorizar as mudanças externas, trabalha a autoestima de forma construtiva, ajuda a mulher a se gostar mais, se respeitar mais, se olhar além dos quilos que aumentam na balança, admirando as curvas que vão arredondando com o passar das semanas.

Sabe-se que mulheres que se exercitam regularmente podem, em geral, contar com um trabalho de parto mais curto e com menos necessidade de intervenções e, dentre tantos motivos que podem justificar isso, eu aponto a consciência corporal como o principal deles.

A pratica da dança do ventre durante a gravidez confere uma maior disposição e força física, trabalha de forma gradativa e suave os músculos das pernas, panturrilhas e coxas – grupo muscular bastante exigido durante o parto.

Sabe-se que uma das posições mais favoráveis para a mulher parir é a posição de cócoras, e quantas de nós somos capazes de permanecer nessa posição sem haver desgaste e formigamento? A dança permite não apenas fortalecer esses músculos, mas torná-los flexíveis a fim de moverem-se naturalmente durante o trabalho de parto e facilitar o nascimento.

Ao mesmo tempo que a dança é um exercício aeróbico ela também é um treino isotônico, já que com seus movimentos básicos trabalhamos praticamente todos os grupos musculares atuantes no parto. Só de ficar na postura base da dança por alguns minutos, por exemplo, a mulher já se torna consciente do fortalecimento dos músculos do quadríceps.

Para finalizar, partilho com vocês uma lista de benefícios relatados por mulheres grávidas que praticam a dança com alguma regularidade:

– Os movimentos oitos e dos círculos aliviam a dor na região lombar e relaxam os quadris durante o trabalho de parto.

– Indigestão durante a gravidez, uma ocorrência comum, é quase sempre eliminada.

– Melhora significativa na postura.

– Auto conhecimento, maior percepção e clareza dos sinais do corpo.

– Maior flexibilidade.

– Mantém a feminilidade, explora a confiança e a segurança em si mesma.

– Auxilia no tratamento da prisão de ventre.

– Utilizando os movimentos da dança antes de dormir é possível acalmar o bebê que se move muito dentro do útero.

– Movimentos auxiliam na dispersão de dor.

– Movimentos úteis na descida do bebê pelo canal do nascimento na segunda fase do trabalho de parto.

– Conexão mente-corpo-espirito.

– Ajuda a gestante a eliminar o estresse de uma vida agitada e turbulenta.

– Promove o convívio social com outras mulheres em fase semelhante à sua, promovendo a partilha de risos, inspirações e emoções, sem tabus.

– Ensina a promover o próprio relaxamento e a facilitar sua entrega no momento do parto.

*Pâmela Souza é professora de Dança do Ventre dedicada ao estudo das danças pélvicas e seus benefícios para o corpo feminino, também é Doula e Educadora Perinatal.

Pin It on Pinterest

Share This